BackgroundDN
BackgroundDN
BackgroundDN
BackgroundDN
Desafio 2012
DNEscolas Apresenta-se
Kit de Apoio
Regulamento
O Meu DN
Links
"Euro é mais importante do que a Grécia" diz Merkel. Tal afirmação da chanceler alemã porá sempre em causa a estabilidade tanto da União como dos mercados internacionais. Até que ponto terá Merkel razão? A UE está mais debilitada que nunca. A razão é simples: as consequências da crise de 2008 afectaram profundamente as relações comunitárias e enfraqueceram os seus laços. A frase de Merkel é um reflexo disso mesmo. A criação de uma moeda única foi, sem dúvida, um grande passo na integração europeia. Contudo, sente-se hoje necessidade da soberania que, com isso, se perdeu. O domínio da política monetária está agora nas mãos do BCE.
A (Des)União Europeia
Os países da zona euro perderam assim um poderoso instrumento de combate contra à crise: a desvalorização monetária. Tal como a Grécia, existem diversos países da Zona Euro com necessidade de utilizar essa soberania perdida como forma de ultrapassar as inúmeras dificuldades económicas. A Grécia é, contudo, a economia que mais necessita desse poder e também a que mais afecta a credibilidade do Euro. O fim do Euro representa um grande abalo na UE.
É portanto essencial que todos os esforços sejam feitos para manter a moeda única, caso contrário a União ficaria a mãos com uma verdadeira bomba-relógio. Posto isto, coloca-se a questão: Até que ponto aquele que seria o maior passo alguma vez dado num processo de integração económica acabará por se tornar no canto do cisne da União Europeia?
Durão Barroso
José Manuel Durão Barroso nasceu em Lisboa a 23/03/1956. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Foi ministro dos negócios estrangeiros no governo de Cavaco Silva. Tornou-se Primeiro-Ministro em 2002, numa coligação PSD-CDS. Em 2004, abandonou o cargo para assumir a presidência da Comissão Europeia. Encontra-se, actualmente, no 2º mandato do mesmo cargo.
Grupo: Marretas
Escola: Escola Secundária José Saramago